domingo, 8 de setembro de 2019

Com Muito Dinheiro e Sem o Poder de Deus. Josimar Salum

Com Muito Dinheiro e Sem o Poder de Deus
Josimar Salum

Por que o sucesso tornou-se uma prioridade na vida de milhares de líderes cristãos e os meios para alcançá-lo cada vez mais distantes da Palavra de Deus que dizem proclamar?

O deus deste século é Mamom e as medidas de seu domínio há muito invadiram os arraiais evangélicos, protestantes, pentecostais e por toda a história, os arraiais católicos apostólicos romanos.

A busca sórdida dos prazeres deste mundo tem feito sucumbir muitos líderes evangélicos e pentecostais recentemente.

E nem mesmo todos os escândalos e exemplos negativos são capazes de impedir outros de caírem. É que qualquer um de nós é seduzido e engodado pela nossa própria cobiça.

As medidas de sucesso de muitos líderes estão enganando seus corações, e estes, seja pelos prazeres deste mundo, do adultério e da prostituição física ou espiritual, pelas luxúrias ou pela ganância, somente proclamam domingo após domingo mensagens de prosperidade falsa, abundância de bens, tesouros na terra, riquezas sem fim e palestras motivacionais para manterem a clientela domingo após domingo enfeitiçada com mensagem híbrida do Evangelho com humanismo.

A Santidade e a Salvação do Senhor há muito já foram substituídas pela pregação de ofertas cada vez mais gordas. A cobrança de cachês por pregadores tornou-se prática comum. Desconhecem "de graça recebei, de graça dai" e dígno é o obreiro de seu sálario. O obreiro é digno de seu salário, o mercenário mede-se em outros padrões.

E os olhos das “ovelhas” que contribuem piscam sem parar, cheios de cifrões, porque querem cada vez mais para satisfazer seus desejos consumistas e todos com suas ações estão dizendo: “Ah! Os milhões que perecem sem o Evangelho morram, não é nossa responsabilidade. São destes missionários pobres, sem dinheiro, que abandonaram tudo para viverem nas searas de Deus! De vez em quando a gente envia uma ofertinha para um deles. Aí estampamos no mural da “igreja” que somos uma igreja que ama missões”.

Mentira! Mais de 50% das entradas das igrejas não são gastas com a obra missionária e a maior parte do dinheiro que se gasta não gera sequer uma pessoa para o Reino. 


Imagine: Se temos 100.000 igrejas, temos 100.000 pregadores que pregam 100.000 sermões todos os domingos. 
Se essas igrejas têm dois cultos por semana são 100.000 igrejas com 100.000 pregadores que pregam 200.000 sermões por semana. São ao final do ano 10.400.000 sermões pregados a cada ano. Meu Deus, se não fossem o remanescente fiel que com certeza são milhões pensaríamos que tudo está perdido. É que a mídia dos artistas é mais poderosa que o que fazem os milhões de fiéis que nunca aparecem. Você não tem idéia de quantos milhões estes mercenários da fé movimentam. Você acha que estou amargurado? Não estou. Estou cheio de fogo do zelo do Senhor. Seja o Senhor misericordioso e ajuda a Sua Noiva pura, santa, imaculada. Se o que tem não é puro, não é santo, não é imaculado não é a Noiva, é uma amante qualquer.

Onde estão as mudanças e transformações profundas nas cidades e vilas onde todas essas pregações são proclamadas? Suas pregações na estrondosa maioria falam de Deus, mas não é a proclamação do Reino. Onde o Reino foi pregado nos lugares por onde os apóstolos no primeiro século pisaram vidas foram transformadas e avivamentos transformadores aconteceram. Onde estão os resultados de Atos dos Apóstolos entre nós?

Essa igreja da pregação da prosperidade, das campanhas de ofertas pelo rádio, pela TV, pela internet, dos milhões de negócios dos evangélicos está perdida, sem poder, não pode salvar-se a si mesma.
É preciso nos humilhar e reconhecer que somos pobres de Poder de Deus.

Odeio a pobreza, a miséria na vida das pessoas. Odeio o pecado que leva as pessoas a viverem como andarilhas. Mas também odeio a riqueza opressora, que faz outros tantos miseráveis. Não venha dizer que sou contra os crentes entregarem seus dízimos e ofertas, que não creio no Deus que dá poder para adquirir riquezas, que não creio no Deus que deseja que eu seja cabeça e não cauda, que empreste em vez de tomar emprestado e que coma o melhor desta terra. Eu creio num povo abençoado como este generoso, que reparte o Seu pão com o faminto, que abriga em casa o desterrado. Você como eu não pode socorrer todo mundo, mas podemos socorrer alguns. 

Essa insistência de pedir dinheiro sem parar, no "ministério" de muitos líderes, é apenas o sintoma de uma queda que se anuncia. E vão caindo por todos os cantos, de um modo ou de outro. A resposta que obtêm de milhares é a razão pela qual vivem: para enriquecerem a si mesmos e continuarem desprezando o pobre, a viúva, a obra missionária e as causas do Reino de Deus.

É preciso que reconheçam que estão numa crise terrível de legitimidade na liderança evangélica, que essa avalanche de líderes que se divorciam, envolvem em escândalos, que vivem numa competição desenfreada entre si, que constroem impérios cada vez maiores em torno de si mesmos é sintoma de uma igreja apóstata que vive a manifestação do anticristo em seu seio. 


É urgente e necessário voltar-se totalmente para Deus e para Sua Palavra, para a simplicidade do Evangelho, para a exclusiva Pregação da Mensagem da Cruz.

Estes milhões precisam abandonar os modismos, os esoterismos, os misticismos, os amuletos, o brilho do palco e da plataforma e se voltarem ao ajoelhar-se nos quartos escuros, aos montes onde os corações quebrantados se encontram com o Espírito, ao viver hoje para cumprir a restauração de todas as coisas, para Jesus vir hoje e a trabalhar para ganhar recursos para fazer a Sua obra enquanto Ele não vem.

A Igreja ocupa-se exclusivamente com o que é em Cristo – sua identidade - e não com o que tem ou com o que possui. Que aprendeu somente a buscar o Reino de Deus e a Sua Justiça pelo que Deus é, e não pelas coisas que serão acrescentadas. 
Sim, a Igreja que busca a face de Jesus mais do que busca as Suas Mãos. Porque o seu sucesso com Deus é medido pelo que ela é em Cristo e não pelo que tem nem pelo que alcança nesta vida passageira. "Se esperamos nesta vida somos os mais miseráveis de todos os homens."

O MANIFESTO: AOS CATÓLICOS, EVANGÉLICOS, PENTECOSTAIS E PROTESTANTES. Versão digital gratuita clique aqui 

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Benny Hinn renuncia ao evangelho da prosperidade, diz 'O Espírito Santo está farto disso'



Benny Hinn renuncia ao evangelho da prosperidade, diz 'O Espírito Santo está farto disso'
 Por Leonardo Blair, Christian Post Reporter 4/9/2019
Tradução Josimar Salum

Leia comentário ao final da reportagem) 

Declarando que o “Espírito Santo está farto disso”, o controverso televangelista Benny Hinn, ex-um dos defensores mais agressivos do evangelho da prosperidade, pela primeira vez em sua carreira, emitiu uma rejeição total à prática que  fez para ele  e sua família milhões.

 O evangelho da prosperidade ensina, entre outras coisas, que os crentes têm direito às bênçãos da saúde e da riqueza e podem obtê-las através de confissões positivas de fé e da "semeadura de sementes" através do pagamento fiel dos dízimos e ofertas.

 Falando com seus seguidores durante uma transmissão do Facebook Live na segunda-feira à noite, que foi destacada pela primeira vez por Larry Reid Live que há muito tempo tem feito críticas por seu apoio à teologia, Hinn declarou que o Evangelho “não está à venda.  "

 "Lamento dizer que a prosperidade ficou um pouco louca e estou corrigindo minha própria teologia e todos vocês precisam saber disso.  Porque quando eu leio a Bíblia agora, não a vejo nos mesmos olhos que vi há 20 anos ”, disse Hinn quando seus seguidores se alegraram.

 "Eu acho que é uma ofensa ao Senhor, é uma ofensa dizer dar US $ 1.000.  Eu acho que é uma ofensa ao Espírito Santo colocar um preço no Evangelho.  Para mim chega.  Nunca mais vou pedir para você dar US $ 1.000 ou qualquer quantia, porque acho que o Espírito Santo está farto disso.

 "Você me ouviu?" Hinn perguntou enquanto sua audiência respondia afirmativamente em alto astral.

 "Acho que isso prejudica o evangelho, por isso estou fazendo essa afirmação pela primeira vez na minha vida e, francamente, não me importo mais com o que as pessoas pensam de mim", continuou ele.

 “Quando eles me convidam para teleton, acho que não vão mais gostar de mim.  Porque quando você olha para a palavra de Deus ... se eu ouvir mais uma vez, quebrar a parte de trás da dívida com US $ 1.000, vou repreendê-los.  Eu acho que está comprando o evangelho.  Isso é comprar a benção.  Isso está entristecendo o Espírito Santo.  ... Se você não está dando porque ama a Jesus, não se incomode em dar - argumentou Hinn.  “Eu acho que dar se tornou um truque;  está me deixando mal do estômago. "


—————

Embora tenha recebido muitas mensagens de pessoas com dúvidas sobre esta decisão de Benny Hinn, quanto a mim estou muito abençoado por vê-lo voltar aos anos oitenta e noventa, quando o conheci realizando suas notáveis ​​cruzadas, quando pregava o Evangelho, em vez de misturá-lo com outras coisas.  

Estou também interessado em saber como Benny Hinn lidará com os convites para pregar, se ele continuará cobrando milhares de dólares ou se agirá de maneira diferente.  À pouco mais de dois anos ele cobrou uma igreja na África, pastoreada por um filho espiritual de um amigo querido, U$ 120.000,00 apenas para iniciar o processo de considerar a realização do evento.  

Lembro-me de uma cruzada do Pastor Benny em 1993 na Filadélfia, Pensilvânia, Estados Unidos quando pregou uma mensagem sobre Elias deixando seu manto para Eliseu.  

Ele disse: “Eliseu poderia fazer três coisas com o manto.  Ele poderia construir uma catedral em torno desse manto caído no chão.  Ele poderia cortar esse manto em pedaços e vendê-los como mercadoria ou ele poderia pegá-lo, tocar as águas do rio Jordão para fazê-lo dividir em dois e usa-lo para a Glória de Deus.”  

Por muitos anos Benny Hinn cortou o "manto" em pedacinhos e fez a unção do Senhor como mercadoria.

Mas não quero que entenda que estou sendo condenatório. Nunca deixei de reconhecer a influência que ele teve em minha vida quando tinha 27 anos de idade e por alguns anos mais tarde. Eu mesmo ajudei a fazer muitas de suas cruzadas nos Estados Unidos mobilizando pastores e igrejas. Entenda que estou muito feliz em ver que Benny Hinn está agora "tomando o manto" (representando a unção de Deus) para usar para a Glória de Deus. 

Espero muito que apesar dos estragos que sua doutrina e práticas falsas causaram em milhões de pessoas, sua posição possa influenciar pregadores no mundo inteiro a fazerem o mesmo que ele, ou seja, abandonarem esta doutrina perniciosa da prosperidade, pararem de manipular o povo de Deus e agirem como Ele espera de Seus ministros nesta Terra.

- Josimar Salum #ASONE

- Josimar Salum #ASONE